terça-feira, setembro 01, 2009

Kaos



Olho constatemente o caos no meu quarto e o que há na minha cabeça.
Comparo e comparo de novo fazendo uma obstusa relação com o mundo.
No fim das contas, é tudo a mesma coisa.

O medo que persiste é só o de ser condenado sem acusação.
Paradoxo esse sempre presente na minha vida.
Persiste também o constante medo da solidão, da tristeza e da rotina.
Eu seria capaz apenas de tentar entender a métrica de algumas frases obscuras e sem sentido.

Tapa um dos olhos e vê como tudo continua igual.
Tapa os ouvidos e nota como os sons continuam a vibrar.
Ninguém pode mudar isso.

A passividade é como um sofá confortável a beira de um precipício.

7 comentários:

Mr. Guima disse...

caos?
no quarto?

everton, vc tá bem?

sistemático do jeito que vc é, até as cuecas vc deve arrumar em ordem de frenquencias cromaticas

vc pode até ver caos, ms não é lá nao...

Traveler disse...

huahauahuha
q nada man, meu quarto é uma bagunça gigante, vc nem imagina! kkkkkkkkkkkk

Espinheira disse...

Frases desconexas podem nos dizer muitas coisas, o segredo é saber ler nas entrelinhas... rsrsrs
Bjo, na testa Evertonzinho*!

Simone Schuck disse...

A passividade é confortável, mas nem sempre opicional - aproveitemos quando é.

E não tenha medo! Tenha tudo, todos os sentimentos. Mas não tenha medo. Viver exige desapego.

E sim: tudo é caos.

Espinheira disse...

*Tudo é vaidade...
nos diz o filósofo!

Deize Almeida disse...

é uma relação como a cromodinamica quantica.
pelo menos a parte que tange à força forte.
quanto mais longe vc tenta estar maior a força que lhe mantém atrelado ao eixo ao núcleo.
mas enfim. tudo o que sabemos é o que menos precisavamos saber.

Bete Feitosa disse...

essa frase final casa com aquela música minha q te mostrei, escada... euheuheueh viagem..

"O medo que persiste é só o de ser condenado sem acusação.
Paradoxo esse sempre presente na minha vida."
forte isso!