terça-feira, janeiro 30, 2007

Neste exato momento, me sinto confuso.
Estou como sempre, naquele meu velho dilema de tentar entender coisas inintendíveis, ver coisas invisíveis e outras do tipo.

Estou naquele momento em que as certezas tão cabais a cinco minutos atrás foram embora.
No popular: "Estou mais perdido que cego em tiroteio".

Eu nessas minhas eternas buscas, tenho medo de deixar alguma coisa passar em branco. Deixar oportunidades para trás, por puro idealismo utópico ou egoísmo. Ou medo mesmo.
Acho que o mais forte é o medo.

É ele a sensação, ou sentimento mesmo, que nos faz duvidar das nossas capacidades, que nos faz evitar o desconhecido, que nos evita trilhar novos caminhos e deslumbrar novos horizontes.
Realmente, a minha definição do medo soou meio brega, mais realmente não consigo pensar numa melhor.

Definições a parte, preciso parar um pouco, pensar um pouco, conversar um pouco.
Mais só vejo uma pessoa capaz de poder me ouvir e me entender.

Preciso me reafirmar. Preciso reaver as certezas. Preciso voltar a entender as escolhas.
Pra só assim reentender as respostas.

"A paixão é um mar,
Parabólica,
Dilatada,
Estrada que dói.
Encanto de flor,
Labirinto,
Espera de redes.
Parece toda raiz,
Só raiz."

2 comentários:

leticia disse...

O medo é apenas uma prisão na qual todos passamos. Alguns acabam por ficar presos nela por tempo indeterminado ou não...

Espero que você fique bem e que suas precisões sejam atendidas...

Eu ia falar mais alguma coisa, mas não lembro =/


E...sua definição não soou brega

papel disse...

somos dois everton
o medo é foda
e vc tem prova de como isso me prejudicou
rsrsrs