terça-feira, novembro 06, 2007

Nem irei tentar descrever toda a carga de pensamentos que agora enche minha mente ininterruptamente.
A tempestade que implode qualquer tipo de atitude melhoradora.
Mais é assim.
Nunca existe uma felicidade plena, até porque, se existisse, tudo perderia o sentido.
Como algumas conversações já feitas, a vida realmente é como uma roda gigante, onde um maquinista controla a velocidade. Escolhe quem fica no alto e quem desce.
Vai definindo a velocidade da subida, a velocidade da descida.
Sem nem perguntar.
Mais vejo que, implicitamente, somos nós que gritamos ao maquinista:
- Sobe!
- Desce!
Mas é aquele tipo de atitude involuntária, que não obedece a uma vontade trivial.
Assim sendo, depois te tanto pensamento, qual seria o melhor?
Buscar um estímulo para controlar esta vontade?
Ou aceitar e se deixar pelo sobe e desce constante e ininterrupto da grande roda?

Um comentário:

Paquetá disse...

Desce! sobe! e é dessa forma que os nossos dias vão se descrevendo pela eternidade...