quinta-feira, agosto 13, 2009

Tão bizarro quanto uma Laranja Mecânica



Eu assistia ontem minha primeira aula de economia e enquanto o professor falava e falava, citou um conceito de Thomas Hobbes que me chamou bastante atenção e que dizia o seguinte:
"O ser humano é violência pura."

Hobbes achava que todo ser humano era bruto e violento por natureza, necessitando assim de uma entidade ou instituição (no caso, o Estado) para controlar seu natural estado agressivo.
Não quero aqui entrar nessa teoria (bem interessante por sinal, mas que eu comento em outra oportunidade). O que mais me chamou a atenção foi que, no momento em que o professor citou essa frase, me lembrei de um filme.
Alguém ai imagina qual seria?
Pois é, Laranja Mecânica.

Na hora me lembrei da Ultraviolence e de todos os personagens do filme destilando toda a sua força e violência sem sentido durante o filme.
O filme exemplifica bem quando mostra como os jovens cultuam a violência sem um objetivo específico, sem qualquer necessidade.
A violência passa a se tornar algo banal, natural e, de certo modo, se encaixa certinho com a teoria do Hobbes.

No cinema não faltam exemplos bem claros.
Dá pra colocar nesse bolo todos os filmes do Tarantino (Kill Bill, Pulp Fiction, Cães de Aluguel...), Assassinos por Natureza e vários outros mostrando a violência como uma coisa natural. Numa análise um pouco mais profunda, demonstra como a agressividade é uma coisa institiva e natural do ser humano, o que não deixa de ser verdade.

No fim das contas, somos todos animais.

*Na foto, Alex e sua gangue após mais uma noite de brigas, estupros e violência.
**Quem ainda não viu, não sabe o que tá perdendo. VEJA!

6 comentários:

Blog do Rasta disse...

Demorei três vezes pra assistir, faz conseguir chegar ao fim, e quando cheguei até me surpreendi.

Na primeira comecei aí achei o filme muitíssimo violento e sem propósito.

Na segunda assisti mais um pouco, mais continua com a mesma opinião.

Na terceira fui decidido a assistir até o fim, até porque estava com espírito pra isto, e quando acabei, eu pensava "Está vendo Alex, como é quando você antecipa o conceito sobre algo antes de conhece-lo"

Luz! disse...

Eu não consegui, como Alex, passar da primeira tentativa. Pelo mesmo motivo que ele, inclusive.

Mas tenho certeza que ainda vou vê-lo. Sobretudo pelas tantas e ótimas recomendações.. ;)

Isabela disse...

Incrível que todos os filmes que você citou eu adoro. São praticamente os meus preferidos hahahaha

(principalmente natural born killers ♥)

Simone Schuck disse...

Hmm não sei se vou gostar, mas já que tu recomendaste, irei assistir.

Marília. disse...

Para mim, esse entidade seria a Igreja. Ou melhor, a religião, porque não há mais o predomínio da religião católica.

E também não diria violência, diria egoísmo. Acredito que é esse o ponto em comum entre os humanos. Uns mais, outros menos. E outros, os piores, os que fingem não ser.

Também acredito no ser ruim. Outro ponto em comum. Uns mais, outros menos, etc.

E, ah, Laranja Mecânica é FODA! Os únicos que fazem amigos bebendo leite, hehehe.

Mr. Guima disse...

quando eu crescer eu quero ser igual a você everton.

quando eu assito um filme, geralmente minhas únicas impressões são:

1 - Que trilha sonora foda!
2 - Que músiquinha chata da po@&%!
3 - Car%*#%&, quanto sangue!

Lógico, eu exagerei.