quarta-feira, dezembro 10, 2008


Em uma de suas antigas lembranças, João recordava-se de como era acordar todos os dias às 4:30h da manhã para ir trabalhar.

Conseguia se lembrar exatamente do sobresalto que dava da cama ao acordar assustado com o barulho do despertador. Era um barulho muito alto, senão, ele não levantava e acabava perdendo a transporte. Dai, acabava por acordar sempre de péssimo humor e já começava o dia amaldiçoando o seu trabalho e a si próprio por viver daquele jeito.

Eventualmente, de tão alto que era o seu despertador, acabava por acordar um ou outro vizinho que sempre o esperava perto de sua casa para lhe xingar.
Ele odiava aquilo tudo.
Odiava.

Pior ainda eram os dias de chuva. Sempre acumuluva uma poça de água de uns dois metros de diâmetro justamente em frente a porta.
Ele tinha duas opções, a primeira era chegar até o meio da sala, sair correndo e dar um verdadeiro salto em distância por sobre a poça e cair do outro lado sem sujar os pés.
Porém, havia um problema nessa abordagem:
Quem fecharia a porta?
Assim sendo, ele era obrigado a enfiar os pés na poça para poder fechar a porta e assim, ficar o resto do dia com as meias molhadas nos pés...

Essa era uma daquelas lembranças completamente inúteis, que ele queria e deveria esquecer, mas como sempre, insistia em voltar.

Ele decidiu então pegar esta lembrança e, como não poderia se livrar dela, jogá-la bem fundo nos porões da inconsciência. Um lugar tão fundo que nem que ele quisesse pegá-la de volta, conseguiria.

E ele fez.
E no grande dia de chuva que se seguiu, a coisa que mais lhe chamou a atenção foi o grande arco-íris que se mostrava bem em frente a sua porta.

4 comentários:

Mr. Guima disse...

tow na area viu cão?
hohhho

nike shoes disse...

can u leave ur phone number to me???

Papel disse...

pow
tem muitos momentos de minha vida q me sinto assim
no trabalho msm
me identifikei com joão

materials disse...

cheap handbags
evening handbag
handbags online
ladies handbag
luxury handbag